Coluna nova no Ar…

07 set
2013
  Decor por Cecília Santospor   

Olá pessoas!!!! Bom sábado para todos, bom feriado!!!

É com muita alegria que hoje vai ao ar oficialmente a coluna: Decor por Cecília Santos. Achei que seria muito importante ter dicas de uma arquiteta aqui no blog. Por mais que eu seja filha de dois arquitetos e que goste muito desse universo, tem que dar a César o que é de César, né?! Encontrei a pessoa certa para isso… Uma amiga de infância. Jovem e cheia de talento. Perdemos o contato por um bom tempo, mas o carinho nunca se perdeu. Na época fui estudar em Salvador, ela no Recife e a vida tem dessas coisas. Timidamente vinha acompanhando alguns trabalhos pelas redes sociais e através de notícias das nossas próprias mães e por dica da minha própria mãe fiz o convite para que Cecília (ou Ceci para os íntimos) escrevesse aqui no Casa Casada. Ela topouuu na hora. Mesmo estando com uma viagem marcada no dia seguinte à essa conversa. Então inicialmente vamos ter uma correspondente internacional. Durante seis meses essas dicas vão ser verdadeiras inspirações para quem ama o assunto ‘Decor’ e também quem ama conhecer lugares, viajar… É a visão de uma arquiteta do outro lado do mundo!!! Vamos em frente?

Cecília, o post é todo seu… Beijos e obrigada!!!

——–

“O famoso ditado popular que diz “quem casa quer casa” inspira muitos casais a construir um lar. Porém, quem casa também quer lua de mel… Então, nada como um curto período sabático para o amor, para fazer funcionar o lado direito do cérebro.

Aproveitando o convite para fazer parte do Casa de Casada, eu, Cecilia Santos, arquiteta e urbanista, vou falar um pouco do que vejo por aí, seja do ambiente interno ou externo, natural ou construído. Falando em lua de mel… eu ainda não casei, estou negociando o marido. Mas, o período sabático já tirei. Dia 26 de agosto fui abduzida para a China, onde fico 12 dias (5 em Chengdu e 7 em Beijing). Daqui vou para a Inglaterra morar por 6 meses. Escrevo abduzida porque é exatamente assim que me senti quando cheguei no lado oriental do planeta: um alien.

Cheguei em Chengdu (成都), sudoeste da China, dia 28. Consegui uma guia que falava inglês para me acompanhar por 2 dias. Em uma cidade com 15 milhões de habitantes, onde você só entende algo como “nashidukuotamadaaaa”, em que nenhuma placa ou cardápio são traduzidos para uma língua ocidental, um guia vale ouro! E vale tudo, mímica, desenho, pulinhos e até homem com homem e mulher com mulher!

decor1

Cidade de Chengdu

 

A primeira coisa que vi na cidade foi um caminhão pipa lavando o asfalto… Sim, o asfalto! Então, se as ruas são limpas, imaginem as calçadas, praças, estações de metrô e qualquer outro lugar público. A cidade é muito limpa! Mas, nem tudo é perfeito. O smog, por exemplo, impede que seja visto o horizonte…

Bom, voltando ao plano terra, as calçadas são largas, tem espaço para bicicletas, motos, árvores, barraquinhas, parada de ônibus e até para os pedestres! São totalmente marcadas com pisos táteis e rampas. Os postes são adaptados para cada área da cidade. Então, por exemplo, se uma rua é muito arborizada, o poste tem uma luminária alta voltada para a rua e uma baixa voltada para a calçada. E, claro, a fiação é embutida (mas, ainda há áreas com fiação aparente, como no centro). As lixeiras são divididas entre lixo reciclável e não reciclável. Até as placas que fecham as calhas de escoamento d’água (foto a seguir) são atrativos para uma jovem arquiteta alienígena.

decor2

Centro da cidade de Chengdu

 

A cidade predomina ocupação vertical. Os edifícios residenciais são, até onde percebi, com mais de 3 apartamentos por andar, e os empresariais são verdadeiras obras de arte! É difícil acreditar que a Rosie (a funcionária robô do The Jetsons) não foi a gerente de projetos do Global Center (foto a seguir), assim como de outros edifícios…

decor3

Global Center, Chengdu – China

 

decor4

Bank of China, Chengdu

Além das edificações tecnológicas, Chengdu também compreende a arquitetura de séculos atrás. O Jinli Street faz você se sentir no século 18 e abriga muito artesanato local, como os famosos silk (bordados em sedas), as estatuetas de budas, pinturas, sapatos, roupas, entre tantas outras coisas.

decor5

Jinli Street, Chengdu

 

decor6

Jinli Street

decor7

Jinli Street, Chengdu

É tudo lindo! Mas o trânsito é uma mistura da Índia com o Brasil… Uma loucura! Passa carro, ônibus, moto, pedestre, ciclista, budista, pessimista, otimista, tudo na rua, na mão e contra mão. Mas, pelo menos, não acontece acidente. Alguns costumes são bem engraçados. Os banheiros têm o vaso sanitário embutido no chão e a descarga é com o pé (foto a seguir). Além disso, o papel fica no corredor do banheiro, não em cada cabine. 

Cabine de banheiro

Cabine de banheiro

Antes que você me pergunte “e faz xixi em pé?”, sabe aquela música do É o Tchan que diz “bota a mão no joelho, dá uma agachadinha…”? Pois é, canta ela e usa o banheiro! É mais ou menos assim que funciona. Depois desse rápido alongamento no banheiro fui em uma praça chamada People’s Park. Antes de entrar a guia disse “vou arrumar um namorado pra você aqui hoje”, “outro?” perguntei. “Ainda estou negociando umas vacas com meu pretendente… Por favor, não me arrume outro!!”. Mas, entendi tudo quando andei pelo parque.

decor9

People’s Park, Chengdu

Esses papéis pendurados são as ofertas do homem ou da mulher. Há todas as informações necessárias sobre o(a) pretendente: nome, sobrenome, ocupação, altura, peso, hobbies, telefone… Alguns arriscam até colocar a faixa salarial! Os pais anotam as características mais peculiares do indivíduo, mostram ao(s) filho(s) e fazem contato. Eu disse à guia que era o mercado da carne, mas ela não entendeu.

É muito difícil expressar com algumas palavras meu sentimento em estar na China! É, sem dúvida, o lugar mais louco que já estive! E é muito lindoooo!!!! Muitas paixões a primeira vista: os edifícios, os jardins, as flores, as roupas, as pessoas, os revestimentos, os tetos, as formas, as bebidas, as comidas… Haja reticências pra simbolizar tudo que poderia ser dito! Mas lindo, incrivelmente lindo, maravilhosamente lindo, lindo, lindo MESMO são os PANDAAAASSSS!!!!! Não tem “oooowwwwwww” que descreva, não há tom de “ooowwwwwwww” que prove a amplitude da gostosura que é esse bicho! Fiquei (estou?) completamente louca quando vi. E uma vontade muito grande de abraçar!!!! Mas só até saber que um aconchego nessa delícia de bola de pelo (ah, lá em casa!) custam meros 400 dólares… Nem tinha achado tão bonito assim mesmo!

decor10

Chengdu Research Base of Giant Panda Breeding

Chengdu Research Base of Giant Panda Breeding

Chengdu Research Base of Giant Panda Breeding

 

Panda recém nascido, na estufa.

Panda recém nascido, na estufa.

 

 

Bom, devaneios selvagens a parte…

 Parti para Beijing. Conto tudo no próximo post!!!! 

Até a próxima!

看到您的到来!

Dúvidas ou sugestões? Comente esse post!

Instagram @ceciliasantosarq

E-mail: ceciliasantosarq@gmail.com